Cinema & Séries - Traillers List

Notícias em Banana News
www.bananaquantica.com.br

sábado, 8 de dezembro de 2012

Crítica Quântica - Liga da Justiça - Reboot: fim do primeiro arco!

A Edição número seis da Liga da Justiça - do reboot novos 52 da DC - fecha o primeiro arco de estórias do grupo de heróis da DC Comics. Foi um arco bem curto, que serviu para apresentar o grupo de superseres  aos novos leitores e o saldo não me parece muito animador - segundo a opinião deste humilde "tecladista de blog" que vos fala. Quando houve o reboot resolvi acompanhar três títulos para ver se conseguia retomar o ritmo que tinha quando lia mensalmente os números de Spawn. Vou dizer uma coisa pra vocês! Por incrível que pareça, foi duro!

Comecei comprando os títulos da Liga da justiça, do Superman e do Batman - este último já acompanhava de maneira eventual - comprando uma sequencia que contava um arco de estória aqui e ali. Acompanhei os três títulos paralelamente até o número 3 de cada uma, foi quando comecei a perder a paciência com os números de Superman e Batman, mas segui em frente com a Liga da Justiça, pois parecia a mais promissora dentre os que li.




A Crítica:

O arco todo - em resumo - conta como os heróis se conheceram, utilizando como pretexto uma invasão na terra realizada por Darkseid. A DC vai apresentando os heróis aos poucos até o número #4 quando aparece  o Aquaman e o Ciborg. No fim desse mesmo número, aparece o Darkseid e na número 6 ele é temporariamente derrotado. É!! isso mesmo! Levou dois números pra Liga - recém formada - chutar a bunda do "Darkinho" pro outro lado do universo.

Hora meus caros, se os caras queriam utilizar logo o maior trunfo e inimigo da liga, assim, de cara, que pelo menos estendessem o arco afim de criar ao menos laços de fidelidade entre os heróis recém reunidos. Afinal de contas, todos eles trabalham sozinhos ou liderando e teriam que - ao menos - conquistar o respeito uns dos outros de uma maneira mais concisa.

Tá na cara que o maior inimigo da liga - na minha opinião - vai voltar, mas poderiam ter amarrado melhor esta estória.

Quanto aos personagens a releitura da DC apresentou:
Na ordem do pior para a melhor atuação :-)


Lanterna Verde: A DC conseguiu ferrar com  o personagem do Lanterna Verde - lembram do filme feito por Ryan Reynolds? Pois é!! É aquilo ali, abobalhado do mesmo jeito só que se achando a última coca-cola do deserto. Péssimo! (nota -5)




Aquaman: Apesar de viver nos mares, se apresentou completamente sem sal e ainda com características e propriedades que definem a própria água: insípido, incolor e inodoro. Se não estivesse ali - dava na mesma. (nota 0)




Ciborg: Conseguiram dar uma explicação que atende ao universo fantástico dos quadrinhos, contudo sua participação foi decisiva demais para um grupo que anteriormente nem fazia parte. Destoou um pouco no enredo, ainda mais da maneira como tudo aconteceu - rápido demais. (nota 2)



Superman: Para quem já curtia o super anteriormente, ou mesmo aqueles que o conhecem por filmes e séries de TV, não irão reconhecer neste personagem que a DC reapresenta, muitas das características que o fazem ser realmente forte. As características daquele escoteiro sereno e calmo, que tem plena consciência e dimensão de seus poderes e que sempre se policía para não exagerar na dose e procurar ser sempre o mais justo possível, tendo como base a criação que recebeu de Jonanthan e Martha Kent, não são reconhecidas neste novo personagem. Este está mais preocupado em se afirmar e responder aos outros sobre os seus poderes, como quem tem orgulho de mostrar que pode mais e não faz. Na minha opinião desconfiguraram os valores do herói nessa releitura e os valores são justamente aquilo que cativa o leitor. Lamentável o que fizeram - nos textos da Liga até agora. (Nota 4)

Mulher Maravilha: pessoalmente eu gostava mais daquela Diana anterior que precisava ser domada do que esta versão bobinha e deslumbrada que a DC apresentou nos títulos da Liga da Justiça. Permanecem os valores e muitas das características como liderança e de uma pessoa que sabe exatamente o que está fazendo na Diana atual, mas foi retirada dela aquela pitada de dureza da guerreira que deveria ir se acostumando com o mundo dos homens e foi creditada uma meiguice destoante de sua origem como amazona. (Nota 7)

Batman: Este foi o único que conservaram a originalidade de esteriótipo, características e valores. Estava lá um detetive, esperto, inteligente sem poderes e que conseguia mediar, se impor e realizar os feitos heroicos corretos na medida de suas possibilidades, aproveitando, ainda, os poderes dos outros como arma, utilizando como meio a razão e uma liderança sugestiva. (Nota 10)


Fazendo um Raio X:
Não leia daqui por diante se não quiser saber de detalhes do arco de estória!!

Liga da Justiça #1: Em termos de ação a revista da liga da Justiça já começou quente, com o Batman e o Lanterna verde se conhecendo, naturalmente não se dando bem  na primeira impressão de cada um. Os dois lutavam contra criaturas estranhas que até então não pareciam ter conexão umas com as outras. Os dois se juntam quando Batman começa a investigação sobre o caso e o Lanterna o segue. Acabam por descobrir que as aparições estão relacionadas e Hal Jordan (Lanterna Verde), depois de analisar um dispositivo com seu anel não consegue determinar a origem do objeto e por este motivo suspeita que seja algo alienígena. Desconfiado da origem, o lanterna leva o Batman ao alienígena mais conhecida da terra - Superman - para poder "tirar satisfação" a respeito do dispositivo.

Liga da justiça #2: O Lanterna Verde e Batman encontram Superman e obviamente tomam um pau do filho de Kripton - que até então não os conheciam. Hal Jordan pede ajuda de Barry Allen e então o Flash, relutante, atende ao pedido de ajuda do amigo e tira o Superman pra dançar. Tem algum sucesso acertando o super algumas vezes. O homem de aço não podia com a velocidade do Flash, mas chegava muito perto toda vez, em uma das vezes chegou bem perto de acertar um soco, o flash desviou mas calculou mal a distancia e estendendo o dedo indicador como um peteleco o Super joga o Flash longe. Por fim o Batman chega com um papo de deixa disso, esfriando a situação e os quatro começam a conversar e discutir sobre o dispositivo que o Lanterna e o próprio Batman haviam encontrado anteriormente na LJ#1. Em um dado momento o dispositivo começa a enviar sinais e por fim explode abrindo uma espécie de portal de onde saem centenas de monstros de todo o tipo. Paralelamente é contada a estória de Victor Stone (Ciborg) - que começa na LJ#1 -  filho do cientista Silas Stone. Victor é um garoto de uns 20 poucos anos que joga futebol americano da liga universitária e muito cotado para assumir uma vaga em um time profissional. Victor de ressente da ausência do pai em seu jogo e vai até o laboratório de pesquisa se encontrar com o mesmo. Silas Stone é um cientista que trabalha adaptando tecnologia alienígena as necessidades de defesa da terra contra os mesmos. O laboratório tinha em sua posse um dispositivo similar ao encontrado por Batman na LJ#1. No mesmo momento em que ocorre a explosão do dispositivo que estava com Batman, também explode o do laboratório atingindo Victor Stone em cheio. As explosões abriram portais que possibilitou a passagem de diversos monstros.

Liga da Justiça #3: No começo da terceira edição aparece a Mulher Maravilha, que está andando casualmente pela rua quando se depara com alguns dos monstros que cruzavam os portais abertos e obviamente o pau começa a quebrar. Enquanto isso, Silas Stone encontra o filho gravemente ferido, a beira da morte e leva Victor para dentro de um de seus laboratórios. No desespero ele corre para injetar a tecnologia experimental chamada de pele de promécio. No mesmo momento uma estrutura metálica começa a se formar preenchendo as feridas e cobrindo as partes mutiladas de Victor, também quase que automaticamente ele consegue se conectar com os aparatos tecnológicos dos monstros que estão invadindo a terra e tem a visão da silueta de Darkseid. No mesmo momento O Super, Batman, Lanterna, Flash e Diana seguem distribuindo sopapos, quando surge uma imensa estrutura alienígena emergindo do mar e monstros sendo jogados para fora. Logo atras surge o Aquaman e seu tridente dando um pau nos monstros e chutando eles pra fora dos oceanos. Desta forma termina a terceira edição.

Liga da Justiça #4: Esta edição começa com Aquaman perguntando quem é que está no comando, foi quando se iniciou um debate com o Lanterna se achando o rei da cocada preta, desdenhando da falta de poderes do Batman e da condição alienígena do Superman. Vendo a indecisão o Aquaman sugeriu que ele comandasse o grupo. Enquanto o segundo escalão da liga sonhava e delirava com ideais de grandeza, surge o Ciborg e se junta aos cinco. No mesmo instante que começa a receber dados de informações alienígenas novamente, momentos depois abre-se um portal e aparece Darkseid.

Liga da Justiça #5: A edição cinco começa com a aparição de Darkseid e o imediato ataque da liga a nova ameaça. Mas o ataque é inútil, Darkseid não sofre um arranhão e de quebra mira seus raios omega nos integrantes da liga da justiça. Flash e Superman conseguem fugir por um tempo - o Flash corre e consegu que o raio acerte os próprios soldados de Darksied mas o Super não consegue voar tão rápido e é atingido. Um dos principais objetivos de Darkseid é capturar o Kriptoniano e ele consegue. Desacordado Superman é levado através de um dos portais que estão sendo usados para a invasão. Ciborg consegue acessar a linha de comunicação dos invasores e descobre que o super foi levado à Apokolips - o planeta do vilão - prontamente informa os outros membros da liga. Em mais um ataque direto a Darkseid os membros da liga se espalham. Batman informa ao Lanterna Verde que irá atras do Superman através do portal, neste momento ele retira a mascara e revela ao Lanterna que ele é Bruce Wayne. Ele pede que Hal Jordan lidere uma distração e mantenha o vilão ocupado enquanto ele - Batman - vai atras do Superman. Por fim, o morcego se deixa capturar para ser levado através do portal.

Liga da Justiça #6: O fim do arco começa com Lanterna, Flash, Diana, Ciborg e Aquaman atacando Darkseid como uma equipe. Batman esta em Apokólips a procura de Superman e o encontra sendo torturado. No mesmo momento na Terra a formação de heróis começa a se entender e se organizam para parar os raios Omega disparados pelos olhos de Darksied. A Mulher Maravilha em um dado momento da batalha consegue acertar - com sua espada - um dos olhos e Aquamam - com seu tridente - acerta o outro olho. Neste momento Ciborg consegue acessar as caixas alienígenas e as acionam para abrir os portais novamente. Abre-se um portal bem atras de Darkseid, do outro lado está Superman sendo torturado, surpresos com o acionamento das caixas os torturadores do Superman abaixam a guarda e Batman ataca libertando o Super. Libertado, o Super passa pelo portal acertando em cheio o vilão. Batman também atravessa e orienta Ciborg a controlar o fluxo dos portais, este tenta e acaba por destruir todas as caixas maternas - dispositivo que abria os portais - levando todos os alienígenas de volta para seu planeta. No fim eles foram condecorados pelo presidente dos EUA e aclamados como o novo grupo conhecido como "OS SUPERSETE". É! o Flash é péssimo pra nomes. Contudo no meio desta guerra toda um jornalista - David Graves foi salvo pelos super heróis, relatou o acontecido em um livro com o título Liga da Justiça - que foi o nome que pegou.


E foi assim, fim da resenha quântica! No fim Ciborg salvou o dia hackeando os servidores inimigos e acionando o dispositivo de autodestruição das caixas maternas - da próxima vez o "Darkinho" melhora a proteção do seu firewall pra não morrer na praia. A certeza de que ele vai voltar é por que estava procurando sua filha, que ainda deve estar na Terra, então é só esperar o próximo arco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

veja também